Cloud Computing

Cloud Computing, ou computação na nuvem, permite distribuir e compartilhar recursos como plataformas para desenvolvimento de software, espaço para armazenamento, servidores virtuais, e outros serviços, sob demanda e através da internet. Essa é uma alternativa para ter acesso a dados importantes de qualquer computador, em qualquer lugar do mundo. A computação na nuvem utiliza uma camada de rede para conectar qualquer dispositivo do usuário que tenha acesso à internet.

A Cloud é uma estrutura digital que dentro da internet faz um agrupamento de servidores, ou seja, todos os servidores fazem parte dessa estrutura digital. Ela está em constante transformação, todos os dias recebe mais servidores, computadores, recursos ou atualizações. A vantagem dessa grande estrutura digital é que os servidores, que fazem parte dessa estrutura, conseguem dividir os trabalhos, dividir os recursos e as tarefas, tudo dentro do mesmo ambiente Cloud.


Alguns dos motivos para que as organizações adotem uma arquitetura de nuvem são:

  • Possibilidade de dimensionar em tempo real os aplicativos conforme a mudança das necessidades dos negócios.

  • Aceleração no fornecimento de novos aplicativos.

  • Redução nos custos operacionais de TI.

  • Melhor integração do time e viabilização do trabalho remoto.

  • Melhorar os requisitos de processamento de dados.



Camadas da computação em nuvem

As empresas têm hoje a possibilidade de criar uma arquitetura cloud personalizada que atenda às suas demandas. Os modelos de serviços IaaS, PaaS e IaaS, são as três camadas pilares da computação em nuvem.

O IaaS (Infraestructure as a Service) - infraestrutura como serviço - é o maior modelo e o que é mais usado em um cenário empresarial. Quando uma empresa precisa de um servidor e quer trabalhar com a tecnologia Cloud ao invés de comprar os servidores, sistemas de gerenciamento de temperatura, entre outros, ela pode alugar uma infraestrutura IaaS e então toda a empresa terá acesso.

O modelo IaaS permite que a organização aproveite os recursos brutos do servidor enquanto o resto do gerenciamento da plataforma e do software se torna responsabilidade da empresa e isso permite que a empresa foque apenas nos seus recursos e deixe a parte de infraestrutura para quem oferece o serviço.

Este modelo tem mais flexibilidade e controle sobre os recursos tecnológicos.


O modelo SaaS (Software as a Service) - software como serviço - é o tipo mais amplamente usado e conhecido. Existem várias empresas que desenvolvem grandes ferramentas pro mercado e depois as disponibilizam para o público como por exemplo o Google com o Google Drive, Docs, Planilhas, etc.

Todas essas ferramentas são softwares como serviço. O uso dos aplicativos pode ser feito de qualquer lugar em qualquer dispositivo conectado à internet.


O PaaS (Platform as a Service) - plataforma como serviço - Prove, para empresa que contrata, um acesso a uma plataforma de desenvolvimento onde se pode aproveitar os benefícios da computação na nuvem enquanto se mantém a liberdade para desenvolver aplicações personalizadas. O acesso dos usuários ao PaaS é feito da mesma forma que em um aplicativo SaaS.

E mais uma vez quem provê o serviço é o que fica responsável pela rede, pelos servidores, pela segurança e outros.

Além destes modelos ainda existem outras opções no mercado como o AIaaS (Artificial Intelligence as a Service), DaaS (Desktop as a Service) e assim por diante.


Arquiteturas Cloud

Junto com algum modelo de serviço ainda é possível criar quatro tipos de arquitetura cloud: Public Cloud, Private Cloud, Hybrid Cloud e Multi cloud.

Public Cloud é quando os serviços em nuvem são ofertados pelas empresas como um produto sem nenhum pré-requisito especifico para fazer uso do serviço como por exemplo comprar espaço de armazenamento no Google Drive ou contratar um serviço de cloud para hospedar um site. As vantagens da nuvem pública são os custos operacionais reduzidos, o fácil dimensionamento e a baixa manutenção. Private Cloud é quando a própria empresa possui um data center e sua própria estrutura, ou quando existe algum acordo com algum terceiro onde uma certa infraestrutura será dedicada apenas ao uso interno da sua organização sendo um serviço de atendimento privado. No fundo é o mesmo que uma nuvem pública, porém é mais cara e o acesso é restrito aos membros de uma empresa. Geralmente são protegidas por medidas de segurança rigorosas.

Hybrid Cloud é quando a empresa possui os serviços misturados entre nuvens públicas e privadas. Esse ambiente combina a eficiência operacional da nuvem pública com os recursos de segurança de dados da nuvem privada.

Esse serviço permite que as empresas migrem cargas de trabalho entre ambientes, dependendo dos requisitos de segurança e de TI.

A arquitetura Multi-cloud é uma abordagem composta por mais de um tipo de serviço e de um provedor de nuvem pública ou privada. A vantagem de um ambiente multi-cloud é a flexibilidade para escolher os serviços que têm mais probabilidade de atender aos requisitos da empresa.

Usar cloud computing e ter um ambiente protegido e dedicado, com gigantesca capacidade de armazenamento, e com nível de performance amplo e contínuo, ter atualizações automáticas no servidor, usabilidade, monitoramento e assistência técnica garantidos.



Pesquisa desenvolvida e escrita por Rayane Paiva.



19 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo